EDUCAÇÃO FINANCEIRA NAS ESCOLAS, ENFIM UMA ÓTIMA IDEIA

 



Educação financeira. Realmente deveríamos aprender desde o berço, pois, é de suma importância para a vida do cidadão brasileiro. Imagine uma criança crescer aprendendo na escola a educação financeira? Teríamos um adulto muito organizado financeiramente e com toda certeza será um adulto com maiores chances de sucesso profissional, comparando a quem nunca teve uma educação financeira na sua vida. 

Porque então não buscar que as escolas de nosso município que tenham em sua grade curricular escolar a matéria de educação financeira? Eu não estou falando em colocar esse tema incluso na disciplina de matemática, geografia e português, como é desde 2020, eu falo em criar uma matéria especifica com esse conteúdo. Não basta você abordar esse tema numa outra matéria, é importante você ter professores formados em educação financeira, ensinando nossas crianças s se prepararem para a vida financeira. 

Hoje em dia, aprendemos na escola, português, matemática, geografia, física, etc. Porém, falta mais, o mundo evoluiu, e nós devemos acompanhar esta evolução para melhor. É ai que entra a importância dessa disciplina em nossas vidas, o Brasil tem milhões de pessoas com o nome sujo no SPC, pessoas que tem medo de investimento por não ter informações concretas sobre o tema. 

A educação financeira é importante para todos os indivíduos, independentemente de sua idade, já que melhora a relação com o dinheiro, hoje o que falta é informação. Ajuda também no controle de ganhos e os gastos racionalmente, por isso se iniciar este entendimento desde o 1° ano do ensino fundamental, será de grande ganho no aprendizado e formação. 

Ter a oportunidade desde o período escolar estudar essa matéria será um diferencial para crianças e adolescentes apresentarem mais consciência e criar uma boa relação com suas próprias finanças. É de suma importância aprender a lidar com as finanças pessoais, pois muitos pais também não sabem organizar seu orçamento, com isso, o conhecimento dos filhos será passado indiretamente para a família que estará aprendendo com seus filhos. 

Segundo a Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), os jovens não sabem como administrar suas finanças pessoais. Outro ponto que constatou o descontrole das finanças pessoais entre os jovens brasileiros é que 76,4% deles afirmaram controlar seu dinheiro de cabeça, sendo que os homens têm menor controle com 83,2% dos respondentes. Os mais jovens – entre 18 e 24 anos –são os que menos se preocupam com esse controle, índice esse que chega a 79,8% dos jovens no País.

Se tivéssemos no currículo escolar esta matéria de educação financeira, para que desde cedo as crianças crescessem aprendendo a ser um jovem e adulto financeiramente educado, com toda certeza não teríamos esses números negativos acima mencionados. 

Então, apresento pra vocês esse assunto importantíssimo, pois não deve ser mais um sonho, devemos tratá-lo como realidade, e precisamos fazer com que, nossos vereadores, prefeito, deputados, governador e presidente, entenda que isso não é algo a se pensar para amanhã, isso é pra ontem, já. Nossas crianças e nossos jovens precisam aprender, para que se torne um adulto consciente e sem problemas financeiros. Melhorando a qualidade de vida das próximas gerações.   

                     

              Por: Carlos Amorim – Ativista Conservador

Postar um comentário

0 Comentários